Like A Girl

Pushing the conversation on gender equality.

Code Like A Girl

A incrível experiência de participar do Rails Girls BH 2017

Tive o grande prazer de participar como treinadora do Rails Girls BH 2017 que aconteceu nos dias 10 e 11 de novembro no escritório da ThoughtWorks em BH.

O evento é organizado por uma grande quantidade de pessoas voluntárias e acontece no mundo todo, possuindo várias edições em diversas cidades aqui no Brasil.

Durante a semana tivemos 2 dias de treinamento para alinhar os conhecimentos dos treinadores quanto à instalação e configuração de ambiente, bem como uma revisada geral de Ruby e Rails.

Na sexta feira quando cheguei onde seria o evento, várias meninas já se encontravam lá e dava para sentir no ar um misto de curiosidade, excitação e muita vontade de aprender.

Seguindo a nossa agenda pré-definida, tivemos um café/lanche que estava muito bom e onde elas puderam se sentir mais a vontade no espaço e descansar para o início do evento.

Em seguida, nos reunimos para uma apresentação sobre o Rails Girls feita pela Ana Ludimila e Laura de Bella. Elas contaram um pouco sobre a história do evento e a importância desse tipo de iniciativa no empoderamento e inclusão de mulheres no mercado de TI. Era nítido a alegria e o orgulho de todos em participar de um evento como esse.

Após a abertura do evento, a Camila Labes contou a história das mulheres na área da computação e falou sobre como é ser mulher no mercado de TI no Brasil e no mundo. Durante a palestra, várias profissionais que estavam lá relataram suas experiências e as participantes puderam tirar dúvidas sobre o dia a dia de trabalho.

Logo após a palestra, as participantes foram divididas em grupos de acordo com a quantidade de computadores disponíveis e de forma que cada grupo tivesse 2 treinadores para apoiá-las durante o evento. O Ayrton Araújo fez uma Installation Party ensinando como se cadastrar e configurar o Codeanywhere para que, no dia seguinte, todas pudessem trabalhar em um ambiente já preparado.

Foto

No final da sexta feira, quando fomos embora, todas já estavam familiarizadas com seu grupo e encorajadas a pensar nas ideias que seriam desenvolvidas no dia seguinte.

No sábado, mesmo com chuva, chegamos todos bem cedo para um café da manhã onde as participantes puderam interagir um pouco mais entre si e com os treinadores que estavam lá.

Na parte da manhã, as participantes tiveram um treinamento básico de Ruby on Rails com Ana Carolina e Edlaine Zamora, onde aprenderam sobre variáveis, condicionais, laços de repetição e sobre o framework Rails. Foi um momento muito importante para tirar dúvidas e entender como tudo funciona.

Após todas já estarem familiarizadas com a linguagem e o framework, os grupos foram apresentados a seus treinadores e se reuniram para discutir as ideias que tiveram e gostariam de implementar. Os grupos eram compostos de aproximadamente 5 pessoas e cada grupo possuía pelo menos 3 computadores.

No grupo que eu estava como treinadora, junto com a Débora Beda, fizemos um brainstorming de idéias e definimos junto às participantes que todas trabalhariam em pares, se revezando no noteboook para que cada uma pudesse desenvolver uma parte da aplicação.

Após o almoço, a Camila Labes fez um bingo onde todas deveriam procurar pessoas com determinadas características até que toda cartela tenha sido preenchida. Foi um ótimo momento de entrosamento entre todas as participantes é que ajudou a quebrar a preguiça de depois do almoço.

Logo após o bingo, os grupos já estavam com a mão na massa trabalhando em cima de suas ideias. Todas eram incentivada sa contibuir, desenhar telas, dar sugestões e programar. Cada avanço nos projetos era comemorado e, aos poucos, o receio e o medo de fazer algo que não funcionasse foi substituído pela empolgação e satisfação de ver uma idéia saindo do papel e se tornando realidade na tela do computador.

Trabalhamos durante algumas horas escrevendo código, pesquisando, vendo dar errado, refazendo, nos apoiando e encorajando, revezando na hora de codar, nos parabenizando pelo que dava certo e ansiando por ver aquele projeto funcionar.

O tempo voou e chegou a hora de lanchar e apresentar os projetos para as demais participantes. Sabíamos que um dia era pouco para desenvolver um projeto completo, mas ao final de tudo, todos os grupos possuíam aplicações que funcionavam e que eram o embrião de ideias muito interessantes.

As participantes exibiram as telas que desenvolveram, mostraram em tempo real a aplicação funcionando e falaram sobre como conceberam as ideias e o que as motivava. A cada grupo que apresentava seu projeto era impossível não ficar mais e mais emocionada.

Todas que estavam lá, que chegaram tímidas e receosas, esbanjavam autoconfiança e orgulho do que tinham aprendido . Muitas aproveitaram para agradecer e dizer como o evento tinha mudado suas vidas. Foi sensacional!

Para fechar o evento, a Helena fez um mural onde as participantes puderam deixar seus feedbacks, dizendo o que gostaram, o que podia ter sido melhor e ideias para as próximas edições. Choveu recados, agradecimentos e sugestões.

Para encerrar, cada pessoa deveria escolher um papel com um tipo de animal e, de olhos fechados, imitar seu tipo de animal e tentar reconhecer os seus semelhantes para se juntar em grupo. Foi perfeito para espantar o cansaço e relaxar para voltar para casa.

Sem dúvida foi uma experiência única poder participar de um evento como esse e contribuir um pouquinho para que as mulheres estejam cada vez mais presentes no mercado de TI. Espero que elas tenham saído de lá tão transformadas quanto eu e nunca deixem de tentar aprender cada vez mais! Que venham as próximas edições!