Like A Girl

Pushing the conversation on gender equality.

Code Like A Girl

Indústria 4.0 um futuro nem tão futuro assim

https://ilcorrieredelweb.blogspot.com.br/2017/06/ikn-italy-annuncia-la-prima-edizione-di.html

Após ter participado recentemente do evento de Internet das coisas realizada pela Vale e ABINC (Associação Brasileira de Internet das Coisas) e após leitura sobre alguns assuntos atuais na área de tecnologia e negócios, me inspirei a escrever esse artigo. Então vamos lá, percebe que não vivemos mais de forma programada e linear? Novidades de tecnologia estão surgindo o tempo todo, e isso que eu que irei citar aqui, ainda está mudando e vai mudar cada vez mais o mercado de trabalho de todos profissionais.

Indo direto ao assunto, vou abordar a atual e tão falada indústria 4.0, que nada mais é do que o resultado da transformação digital, ou seja, resultado da utilização da Internet das coisas, Software como Serviços, Machine Learning, Inteligência Artificial, Big Data Analytics, ChatBot, Automação, Realidade Aumentada, Virtualização, Cloud, entre outros exemplos, que são inerentes da evolução exponencial da tecnologia. Em paralelo a isso tudo, surge a tecnologias como o BlockChain e Bitcon, que têm um enorme potencial disruptivo. Grandes inovações são normalmente introduzidas por Startups que trabalham de forma ágil e com MVP (Minium Viable Product). Essas mudanças de paradigmas esta levando a uma tendência em grandes empresas a fazerem parcerias com as startups como uma maneira de alavancar seu B2B, e se preciso for, até mesmo pivotar, pois a indústria 4.0 afetará o mercado como um todo e consiste na criação de novos modelos de negócios.

Com a indústria 4.0 o trabalho manual e repetitivo já vem sendo substituído por mão de obra automatizada, e isso tende a continuar. Por outro lado, as demandas oferecerão oportunidades para profissionais tecnicamente capacitados, com formação multidisciplinar para compreender e trabalhar com a variedade de tecnologia. Quer exemplo? Seguem 5 casos provenientes de reportagens atuais:

1. “Mcdonald’s do futuro localizado em São Paulo capital, fechou 40 dias e abrigou reformas que marcam o novo conceito da rede. Além de mesas interativas, tablets, a rede inaugurou um novo sistema de pedidos, que agora é feito por meio de totens eletrônicos, deixando os balcões exclusivos para a retirada dos pedidos. O pagamento via cartão é realizado no próprio totem, enquanto os que preferem pagar em dinheiro retiram uma senha para pagamento no caixa.”

2. "A Apis Cor criou uma impressora 3D capaz de erguer uma casa completa em apenas 24 horas. A empresa, demonstrou a tecnologia, onde camada a camada a máquina distribui o concreto desenhando as paredes da casa a partir do chão. Aos trabalhadores da construção restou o trabalho de pintar, dar acabamento e instalar o telhado. Segundo a Apis Cor, o custo total da casa ficou em US$ 10 mil (R$ 31.500, em conversão direta), valor cujo maior parte é consumida por portas e janelas: itens que não são impressos.

3. Na Natura foram colados adesivos nos vidros em uma das linhas de envase de cosméticos da fábrica em Cajamar SP. Os adesivos são parte do mecanismo que torna possível o uso da realidade aumentada. Em vez de consultar manuais antes de fazer a manutenção, agora eles só abrem o aplicativo e “escaneiam” um adesivo. O app, então, dá início a um passo a passo sobre como uma peça deve ser trocada. Animações surgem na tela para demonstrar como proceder. Agora, em vez de registrar a atividade num papel ou planilha, basta tirar uma foto. O investimento na realidade aumentada faz parte do esforço da fabricante de cosméticos em se preparar para um futuro no qual máquinas, profissionais e produtos vão trocar informações em tempo real.

4. “Em sua planta em São José dos Pinhais PR, a montadora Renault experimentou o recurso de realidade aumentada num evento de prevenção de acidentes. Os funcionários andavam pela fábrica com um celular na mão e podiam interagir com os equipamentos de proteção exigidos em cada setor. “O sucesso foi tamanho que desistimos de construir salas de treinamento de segurança.” Houve economia. A Renault já faz outro projeto com realidade aumentada: o do especialista remoto. Se um operador não consegue consertar uma máquina, ele usa óculos especiais para se tornar os olhos de um especialista que está em outra planta.”

5. “A tecnologia invade os lançamentos do mercado imobiliário. Óculos de realidade virtual, que permitem “visitar” apartamentos ainda em construção, começam a ser difundidos no Brasil. O equipamento facilita a vida do cliente, que pode ver diversos empreendimentos simultaneamente sem se deslocar. Esse é o futuro da tecnologia na área de imóveis, mas o próximo passo é a capacitação dos funcionários do setor. Além dos óculos, as construtoras têm que investir no conteúdo que será reproduzido, que é feito por agências digitais.”

Mas Jacqueline, o que é isso tudo ai que você falou de Industria 4.0? Quantos termos e palavras difíceis. Calma, segue abaixo de uma forma geral os conceitos na ordem que foram citados no texto:

§ Industria 4.0: É um conceito de indústria proposto recentemente, a partir das principais tecnologias acima citadas, e abaixo explicadas. Podemos entender que teremos uma nova realidade produtiva, tudo estará conectado para que as melhores decisões de produção, custo e segurança sejam tomadas, tudo sob demanda e em tempo real. O objetivo é chegar ao modelo de indústria inteligente e caracterizado pela capacidade de adaptação, eficiência dos recursos e integração de todos os envolvidos nos processos de criação de valor e estratégia. Benefícios previstos e já estudados e baseados no impacto nas plantas:

• Redução de Custos
• Economia de Energia
•Aumento da Segurança
•Conservação Ambiental
•Redução de Erros
• Fim do Desperdício
•Transparência nos Negócios
•Aumento da Qualidade de Vida
• Personalização e Escala sem Precedentes

§ Transformação digital: é um processo no qual as empresas fazem uso da tecnologia para melhorar o desempenho, aumentar o alcance e garantir resultados melhores. É uma mudança estrutural nas organizações dando um papel essencial para a tecnologia, que passa a ser estratégico central. Não são só as grandes organizações que podem implantar programas de transformação digital, até porque isso não se resume a quem tem mais dinheiro. Qualquer empresa, não importa de que segmento, pode se beneficiar por desenvolver uma cultura que privilegia o digital. Não é à toa que existem tantas ferramentas, pagas ou gratuitas, disponíveis para praticamente qualquer tipo de iniciativa digital que se consiga imaginar.

§ Internet das coisas ou IOT (Internet of Thinks) nada mais é do que a conexão das coisas a internet, como por exemplo eletrodomésticos, transportes, etc conectando robôs e automatizando processos etc. Aparelhos conectados à internet, sendo monitorados, analisados e controlados pelas empresas.

§ Software como Serviços (SaaS): permite aos usuários se conectar e usar aplicativos baseados em nuvem pela Internet, um exemplo comum e de fácil entendimento é o e-mail baseado em web gmail e o Spotify. O SaaS podem ser gratuitos, ou pagos. Comprar e instalar programas num só computador parece uma coisa do passado, seguem vantagens:

• Rapidez a resolver problemas: pela internet terá suporte técnico mais eficaz e rápido
•Sempre atualizado: pela internet qualquer alteração ao programa fica logo disponível
•Flexibilidade: pode aceder à sua conta em qualquer lugar
•Compatibilidade: só precisa de ter ligação à internet para conseguir aceder
•Segurança: se ficar sem o computador não perde dados — eles estão na aplicação online
•Menor investimento: não precisa de instalações, logo, não há investimento inicial
•Partilha: é mais fácil partilhar documentos com sócios, parceiros ou contabilistas.
•Facilidade: deixe os especialistas desenvolverem as aplicações, tratarem das necessidades que tem e ganhe mais tempo para o seu negócio

§ Machine Learning (Aprendizado de máquina) é um método de análise de dados que automatiza o desenvolvimento de modelos analíticos usando algoritmos que aprendem interativamente a partir de dados, o aprendizado de máquinas permite que os computadores encontrem insights ocultos sem serem explicitamente programados para procurar algo específico. Exemplos:

• Os carros autônomos do Google que dirigem sozinhos? A essência do aprendizado de máquina.
•Ofertas de recomendações on-line como as da Amazon e Netflix? Aplicações de aprendizado de máquina na vida cotidiana.
•Saber o que os clientes estão dizendo sobre você no Twitter? Aprendizado de máquina combinado com a criação de regra linguística.
•Detecção de fraudes? Um dos usos mais óbvios e importantes em nosso mundo de hoje.

§ Inteligência Artificial (IA): é um ramo da ciência da computação que se propõe a elaborar dispositivos que simulem a capacidade humana de raciocinar, perceber, tomar decisões e resolver problemas, enfim, a capacidade de ser inteligente. Hoje em dia, são várias as aplicações na vida real da IA: jogos, programas de computador, aplicativos de segurança para sistemas informacionais, robótica (robôs auxiliares), dispositivos para reconhecimentos de escrita a mão e reconhecimento de voz, programas de diagnósticos médicos e muito mais.

§ ChatBot: é um robô (robot) que conversa com as pessoas via chat. Existem dois tipos, um utiliza regras bem definidas e outra usa Machine Learning. Robôs baseados em Machine learnig ficam mais inteligentes a medida que aprendem com as interações. Do ponto de vista de quem está usando, os chatbots chegam o mais perto possível de uma conversa real com uma pessoa.

§ Automação: É um sistema que emprega processos automáticos através de software que comandam e controlam os mecanismos para seu próprio funcionamento. A ideia de automação está diretamente ligada à máquinas ou robôs, que agilizam as tarefas de forma contínua e repetitiva.

§ Realidade aumentada: é uma tecnologia que permite que o mundo virtual seja misturado ao real. Você pulará para dentro do mundo virtual para interagir com objetos que só estão limitados à sua imaginação. Ela pode ser usada para criação de jogos muito mais interativos; melhoria de processos da medicina como cirurgias remotas, nas quais o médico pode estar a quilômetros de distância do paciente; indústria automobilística, facilitando a manutenção do carro pelo próprio dono, através de manuais de instrução interativos; além de milhares de outras alternativas que provavelmente ainda veremos serem criadas.

§ Virtualização: de servidores; de aplicativos; de desktops. É ter múltiplos computadores em um só. Com o uso de máquinas virtuais é possível reproduzir com perfeição as atribuições de outros sistemas operacionais sem interromper os processos atuais. Isso significa usar interfaces, softwares e soluções distintas em um mesmo computador ou servidor sem prejudicar seu desempenho. A virtualização em geral funciona no sentido de aproveitamento dos recursos computacionais ociosos. As empresas têm de investir bem menos na obtenção de ambientes computacionais completos. Além de reduzir seus custos e aumentar a eficiência do parque tecnológico atual, virtualizar ajudará a criar uma TI mais segura, com menor gasto de energia elétrica e mais verde. Ela ajuda a reduzir vulnerabilidades e tornam a recuperação de desastres mais eficiente. Se isso não fosse o bastante ainda poderíamos citar vantagens em suporte e flexibilização:

•Precisa de algum sistema operacional que não tem mais suporte do fabricante? Realize sua execução com de máquinas virtuais e reduza vulnerabilidades;
•Aumente o número de plataformas disponíveis em seu ambiente corporativo sem aumentar o custo em infraestrutura com virtualização;
•Centralize o monitoramento em um lugar só com soluções de virtualização integradas;
•Crie ambientes de testes perfeitos para novas soluções e avalie bem cada uma delas antes da implementação, com auxílio das virtual machines.
•Ela aumenta a produtividade dos seus servidores, é possível reduzir seu parque tecnológico de muitos para apenas alguns poucos servidores;

§ Cloud: Nuvem ou internet, praticamente tudo que você consome atualmente na Internet: redes sociais, armazenamento de arquivos, streaming de vídeo e música, provém de aplicativos e serviços baseados na nuvem. A ideia de guardar arquivos em uma “entidade tecnológica” chamada nuvem surge do fato de que não se sabe exatamente onde os dados estão sendo armazenados ou processados. Eles não estão em lugar fixo, como um servidor local na empresa.

§ Big Data Analytics: é o trabalho analítico e inteligente de grandes volumes de dados, estruturados ou não-estruturados, que são coletados, armazenados e interpretados por softwares de altíssimo desempenho. Trata-se do cruzamento de uma infinidade de dados do ambiente interno e externo, gerando uma espécie de “bússola gerencial” para tomadores de decisão. Tudo isso, é claro, em um tempo de processamento extremamente reduzido. Algumas das fontes usadas por um software de Big Data Analytics:

• Dados extraídos de ferramentas de Inteligência de Negócios (Business Intelligence — BI);
• Arquivos de log de servidores web;
• Conteúdos de mídias sociais;
• Relatórios empresariais;
• Textos de e-mails de consumidores à empresa;
• Indicadores macroeconômicos;
• Pesquisas de satisfação;
•Estatísticas de ligações celulares capturadas por sensores conectados à IOT
• Bases de dados das empresas de cartão de crédito;
• Programas de fidelidade;
•Reviews de produtos nos sites das empresas.

§ Evolução tecnológica exponencial: são as tecnologias que estão se desenvolvendo e se expandindo em taxas de crescimento exponencial. Enquanto tecnologias tradicionais apresentavam uma tendência ao avanço linear ao longo dos anos, novidades recentes como manufaturas aditivas, drones e inteligência artificial se desenvolvem de forma exponencial.

§ Tecnologia disruptiva: representa um salto inesperado e de grande impacto. É um termo descrevendo a inovação tecnológica de um produto ou serviço que utiliza uma estratégia disruptiva, em vez de evolutiva, para superar uma tecnologia existente dominante no mercado. De qualquer maneira, o termo não é mais do que uma tradução literal do conceito inglês disruptive e significa o mesmo que revolucionário.

§ Blockchain ou cadeia de blocos: é o sistema de registros que garante a segurança das operações realizadas por criptomoedas como o Bitcoin. São um sistema de contabilidade. Porém, ao contrário de outros sistemas, o registro gerado pelo blockchain é distribuído, está presente em todas as partes onde o software é rodado. É um livro-razão compartilhado por todos aqueles que participam do sistema. Em suma, é o registro em ordem cronológica de todas as transações que ocorreram na rede, e que foram compiladas e validadas. É público, único e compartilhado pelos participantes de um sistema específico.

§ Bitcon: é uma criptomoeda, é uma tecnologia digital que permite reproduzir, em pagamentos eletrônicos, a eficiência dos pagamentos com cédulas. Em teoria os pagamentos são rápidos, baratos e sem intermediários. Eles podem ser feitos para qualquer pessoa, que esteja em qualquer lugar do planeta, sem limite mínimo ou máximo de valor. Talvez por conta do crescimento do Bitcoin e da aceitação por parte da indústria, as instituições financeiras agora estão à procura de formas de participar desse ecossistema cripto-financeiro.

§ Startup: muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser considerada uma startup. Outros defendem que uma startup é uma empresa com custos de manutenção muito baixos, mas que consegue crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores. Mas há uma definição mais atual, que parece satisfazer a diversos especialistas e investidores: uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza. Geralmente envolve tecnologia.

§ Ágil: é um modelo de gestão dinâmico. Ele surge em paralelo ao crescimento do setor de Tecnologia da Informação, que devido as crescentes pressões do mercado por inovação, produtividade e mais qualidade dos produtos (softwares), perceberam a necessidade de uma melhoria nas técnicas, onde o foco principal é a satisfação do cliente. Assim, a Gestão Ágil é uma abordagem leve e de mínima intervenção para o gerenciamento de projetos. Exemplos: Project Model Canvas, Design Thinking, Scrum etc

§ MVP (Minium Viable Product): em empreendedorismo, principalmente no contexto de startups, um produto viável mínimo (MVP) é a versão mais simples de um produto que pode ser lançada com uma quantidade mínima de esforço e desenvolvimento. Um MVP ajuda os empreendedores a iniciarem o processo de aprender da forma mais rápida possível, pois poupa tempo e esforços. Porém, ele não é necessariamente o menor produto imaginável.

§ B2B ou business-to-business: é um termo utilizado para designar uma modalidade de comércio baseado na compra e venda, seja de informações, produtos ou serviços entre, no mínimo, duas organizações. Este método pode ser praticado através da internet ou por redes de empresas privadas. B2B é a forma mais desenvolvida do e-business, e sua maior aplicação é na compra eletrônica de itens e serviços de produção, bens para transformação, revenda, inclui atividades de marketing e transações entre negócios e não apenas a transação final entre eles. O comercio interempresarial eletrônico B2B tem a forma de processos automatizados exige que diferentes tecnologias sejam integrados.

§ Pivotar: empreendedores, principalmente aqueles à frente de startups, vêm usando esse novo verbo. O termo é derivado do inglês to pivot (“mudar” ou “girar”) e designa uma mudança radical no rumo do negócio. Exemplo: quando um empreendedor decide mudar o plano de negócios depois de ter testado uma estratégia e não ter obtido os resultados esperados, ele pivota o negócio. Donos de startups costumam mudar mais frequentemente de estratégia, pois acabaram de criar o negócio. Por essa razão, o verbo costuma ser bastante utilizado em aceleradoras e incubadoras.

Podemos concluir que a com a evolução da tecnologia, surgem tanto novas soluções, quanto problemas, como os criminosos virtuais que precisam de atenção, e que obriga as empresas a se adaptarem para suprir as demandas da sociedade. Porém essa demanda por inovação é real e urgente em todo o mercado, e quem decidir esperar parar ver o que vai acontece provavelmente não vai gostar do cenário que vai encontrar, isso vale para as empresas e para os profissionais.

Espero ter contribuído na forma de conscientização para que os mais diversos profissionais tenham a percepção da importância de conhecimento, atualização e aprendizagem para um futuro não tão futuro assim.

Fontes:

https://marketingdeconteudo.com/transformacao-digital/

https://www.sas.com/pt_br/insights/analytics/machine-learning.html

https://invoicexpress.com/blog/saas

https://endeavor.org.br/blockchain/

http://www.bigdatabusiness.com.br/voce-sabe-o-que-e-big-data-analytics/

https://www.tecmundo.com.br/realidade-aumentada/2124-como-funciona-a-realidade-aumentada.htm

https://www.tecmundo.com.br/intel/1039-o-que-e-inteligencia-artificial-.htm

https://www.opservices.com.br/o-que-e-virtualizacao/

http://artia.com/blog/voce-sabe-o-que-e-gestao-agil-e-quais-sao-suas-metodologias/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Produto_vi%C3%A1vel_m%C3%ADnimo

http://corporativosupply.com.br/novo/o-que-significa-o-conceito-business-to-business-b2b/

http://exame.abril.com.br/pme/qual-o-significado-do-termo-pivotar/

https://www.significados.com.br/automacao/

https://www.salesforce.com/br/blog/2016/02/o-que-e-cloud-computing.html

https://www.obaoba.com.br/na-cidade/noticia/mcdonalds-abre-loja-conceito-em-sp-com-atendimento-digital-mesas-interativas-e-cardapio-personalizado

https://www.salesforce.com/br/blog/2016/02/o-que-e-cloud-computing.html

http://link.estadao.com.br/noticias/inovacao,realidade-aumentada-chega-a-industria,70001951855?lipi=urn%3Ali%3Apage%3Ad_flagship3_profile_view_base_recent_activity_details_all%3BBOAphQW0THCCDr6f1Ns0jA%3D%3D

https://oglobo.globo.com/economia/construtoras-apostam-em-o

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tecnologia_disruptiva