Like A Girl

Pushing the conversation on gender equality.

Code Like A Girl

Síndrome do Impostor: Você é realmente uma fraude?

Photo by Braydon Anderson on Unsplash

Foi em uma conversa informal, com uma amiga, enquanto nós conversávamos sobre uma (ao meu ver pequena) conquista que eu havia acabado de ter. Eu tinha me saído bem em uma prova de certificação, cuja taxa de aprovação é de 65% e (puxa!) eu estava me sentindo razoável.

Enquanto eu narrava a prova, que eu havia encontrado diversos simulados online e claro que muita coisa eu já havia encontrado similar, acreditava que esse havia sido meu fator de sucesso. Minha amiga ainda foi mais fundo, resolveu ressaltar a quantidade de coisa que eu havia aprendido em tão pouco tempo: dos cursos a que eu havia me dedicado, das horas que eu havia estudado sozinha e até que em tão pouco tempo na área (então tinha pouco mais de um ano) eu havia evoluído tanto profissional e pessoalmente. Percebi a expressão de derrota no seu rosto quando eu disse:

"Eu não fiz mais que minha obrigação. Se eu não passasse, eu teria que esperar pelo menos uns 4 meses para fazer a prova de novo. E ia ter que desembolsar uma boa quantia em dinheiro, e isso estava fora de questão! E eu não sou tão boa assim, estou bem longe de ser…"

O fato é que sou condicionada a pensar que todos os dias eu tenho que acordar e ser 2x melhor que eu fui ontem se eu quiser ser melhor futuramente. Eu sempre tenho a sensação que estou muito longe de chegar onde quero (mesmo que a poucos passos), e isso é tão ruim que faz com que eu desista de terminar as coisas pois acho que não ficarão boas o suficiente, ou que não ficaram perfeitas, e o pior é que as pessoas não entendem! rs.

Naquele mesmo momento, sentada com as mãos sobre a mesa ela me disse: Você sofre da Síndrome do Impostor, eu li sobre isso, a própria Emma Watson sofre disso. É a pessoa nunca enxergar seus feitos como grandes, ela tem o costume de por a "culpa" do seu sucesso em outros, nunca em si mesma!

ÓBVIO que eu jamais achei que me enquadrava no quadro. "Imagine! Eu?". Mas recentemente eu me boicotei tão enormemente, que ouvi (de mim mesma!) uma frase assim quando fui elogiada por um amigo:

"Eu não sou tão boa assim, eu sei muito pouco, e sou bem iniciante. Um dia eu vou ser boa, hoje eu só converso bem, explano bem sobre um assunto e as pessoas tem a péssima mania de achar que eu sou boa em algo! Realmente as pessoas acreditam muito mais em mim que eu mesma!"

Claro que as coisas nem sempre são tão claras aos olhos, principalmente se tratando de nós mesmos, mas foi em um convite para uma entrevista de emprego, que me deu um estalo. Foi ouvir do gestor de uma empresa "Foi muito bom você ter a disponibilidade de estar aqui hoje, pois é muito difícil encontrar alguém com seu perfil!", que me deu um estalo: será que estou me boicotando mesmo? Então fui analisar essa tal de Síndrome do Impostor e ao ler os dados, as atitudes, e descobrir que mais de 70% dos acometidos é mulher, eu fiquei a pensar que precisamos mudar isso. E depois de ler muito sobre o tema, separei algumas atitudes básicas que podemos tomar desde já para enfrentar esse mal:

Não se compare! – Faça sempre o seu melhor, do jeito que for, mas faça! Temos que sempre ter em mente que o desempenho das pessoas é diferente e isso de certa forma não é ruim, porque nos torna únicos! Confie sempre nas suas habilidades e seus dons. 🙂

Você nunca vai saber tudo! – Sempre tive em mente que precisava saber tudo porque estava sempre "atrás de alguém". Isso se torna mais evidente quando você precisa explicar algo a alguém, ou até mesmo ensinar (como foi o meu caso), e isso é NORMAL (Acredite, ninguém sabe tudo de TUDO!), no final você vai chegar a uma exaustão sem necessidade se ficar sempre focando nisso!

Costume ter uma lista (mesmo que mental) de todas as coisas boas que você já fez. Seja uma lista de realizações pessoais, profissionais, ou eventos em que você foi elogiado por algo. Isso vai ser muito importante quando você se sentir em uma situação desconfortável ou se sentir incapaz! Precisamos ter sempre consciência de nossas capacidades e habilidades. Isso será muito útil se alguém tentar te dizer o contrário também (sim, essa a pior parte!);

Tente ver as coisas “de fora” – Imagine qual seria sua postura se fosse com alguém conhecido e como você reagiria, não tenha medo de se auto-consolar!

Faça! – Não importa que as chances de darem certo seja apenas aquele 1%, muitas vezes deixamos de fazer algo que poderia ter dado super certo pelo simples fato das estatísticas provarem o contrário. Não deixe o medo de fracassar te paralisar! Você é capaz de tudo que quiser, basta QUERER e FAZER! E caso não saiba, pesquise, pergunte, vá atrás!

Bom, pra terminar esse artigo, deixo o link (https://youtu.be/eqhUHyVpAwE)desse vídeo da "School Of Life" uma instituição localizada em Londres, e que é dedicada ao desenvolvimento da inteligência emocional. Vale a pena ver! 😉

Siga a tag codelikeagirlBR para ver nossos posts! 😀

Quer escrever ou traduzir artigos em português para a Code Like A Girl? Se você já faz parte do time de escritoras(es) da Code Like A Girl basta enviar seu artigo diretamente para nossa publicação. Se você ainda não faz parte do nosso time, envie uma mensagem direta para a conta de twitter CodeLikeAGirlBr. Nós avaliaremos seu artigo e ajudaremos a refiná-lo para publicação.